Novidades e Reedições

AZUIS ULTRAMARINOS. PROPAGANDA COLONIAL E CENSURA NO CINEMA DO ESTADO NOVO, de Maria do Carmo Piçarra

Quando emergiu a geração do Cinema Novo, quais foram as evidências da (im)possibilidade de um outro olhar sobre as colónias portuguesas em obras de autor que foram censuradas e proibidas? Como é que a propaganda do Estado Novo filmou o «modo português» de estar no mundo?


Ler mais
A ÁGUIA E O DRAGÃO. PORTUGUESES E ESPANHÓIS NA GLOBALIZAÇÃO DO SÉCULO XVI, de Serge Gruzinski

Um texto de história comparada que visa destacar os paralelismos entre dois fenómenos coevos. Por um lado, a célebre conquista do México pelo contingente espanhol comandado por Cortés e o fim do Império Asteca, cuja casa imperial tinha por símbolo a águia. Por outro, e este menos conhecido, a chegada dos Portugueses à China e o seu primeiro contacto com o Império do Meio. Se Cortés chega ao México em 1519, em 1520 chega a Nanquim uma embaixada portuguesa.


Ler mais
A MISSÃO DA REPÚBLICA. POLÍTICA, RELIGIÃO E O IMPÉRIO COLONIAL PORTUGUÊS (1910-1926), de Hugo Dores

Este livro tem como objectivo explorar as ambiguidades que marcaram as relações entre Estado-Igreja no Império colonial português, durante a I República. Este relacionamento tem sido visto essencialmente numa perspectiva metropolitana, deixando de lado a complexidade do mundo imperial e das dinâmicas que o caracterizavam.Ler mais

ASCENSÃO E QUEDA DOS IMPÉRIOS GLOBAIS. 1400-2000, de John Darwin

Tamerlão, os Otomanos, os Mogóis, os Manchus, os Britânicos, os Soviéticos e os nazis, todos construíram impérios concebidos para duraraem para sempre, mas todos acabaram por soçobrar. No entanto, os impérios que construíram foram criando o mundo tal como conhecemos hoje.


Ler mais

Reedições / Reimpressões

DA ALMA (DE ANIMA), de Aristóteles

Nesta discussão dos problemas principais respeitantes à alma, que é o princípio vital de todos os seres vivos, Aristóteles visa fundamentalmente delinear uma teoria geral sistemática de um tema que pode ser considerado metafísico e abstracto.


Este livro é o n.º 49 da Col. Textos Filosóficos.

 

Ler mais
ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DAS SOCIEDADES PRIMITIVAS, de Jean Copans, S. Tornay, M. Godelier, C. Backés-Clément

Abandonadas por muito etnólogos, as designações de Etnologia e Etnografia foram substituídas pela mais ambiciosa de Antropologia. «Ciência do Homem» ou «tratado sobre o homem», apresenta-se explicitamente com o desígnio de ultrapassar os domínios tradicionalmente atribuídos à suas antecessoras: as sociedades primitivas rurais.

Ler mais
SISTEMA DA MODA, de Roland Barthes

A moda é uma realidade já largamente analisada sob uma perspectiva jornalística, estética, sociológica e psicológica. Faltava, porém, uma análise semântica do vestuário feminino, coisa que o autor nos proporciona com este livro. Partindo da descrição e da classificação da moda escrita, tal como se apresenta nas revistas da especialidade, Barthes elabora uma análise estrutural do vestuário feminino.


Ler mais