REINOS DESAPARECIDOS, de Norman Davies

Reinos Desaparecidos revela-nos a história alternativa de uma Europa repleta de mundos perdidos aos quais ainda não se tinha prestado a devida homenagem. Nesta história de uma narrativa que ficou por contar e que é por isso dedicada àqueles que os historiadores tendem a esquecer, Norman Davies repõe a verdade dos factos e reconstrói, entre os ecos fantasmagóricos de estados ignorados, uma biografia da Europa que vai reformular a nossa perspetiva acerca da ascensão e queda das nações, bem como da impermanência das organizações públicas.


O MAIOR BEM QUE PODEMOS FAZER, de Peter Singer

O altruísmo eficaz, que está a dar origem a um movimento emergente repleto de entusiasmo, baseia-se na ideia de que devemos fazer o maior bem que pudermos. Porém, a obediência às regras normais - como não roubar, não enganar, não magoar ou não matar - não é suficiente para os que têm a sorte de viver com conforto material.


DA LEVEZA. PARA UMA CIVILIZAÇÃO DO LIGEIRO, de Gilles Lipovetsky

Vivemos atualmente uma grande revolução que, pela primeira vez, nos transporta para uma era da leveza. O culto da magreza triunfa; a prática de desportos em que se desliza cresce cada vez mais. O mundo virtual, os nanomateriais e os dispositivos móveis estão a mudar as nossas vidas. A cultura dos meios de comunicação, a arte, o design e a arquitetura também expressam o culto contemporâneo da leveza, promovendo a ideia de suspensão.


SEMIÓTICA DA PUBLICIDADE - A CRIAÇÃO DO TEXTO PUBLICITÁRIO, de Ugo Volli

A publicidade como signo, como texto complexo e sedutor, como mensagem condicionada pelos meios de comunicação social e como veículo de significados e valores. A semiótica pretende simultaneamente desmontar e explicar a linguagem na origem do texto publicitário.


Este livro é o n.º 84 da Col. Arte & Comunicação.

 

DEUS E A FILOSOFIA, de Étienne Gilson

Filósofo e historiador da Filosofia, exegeta da Bíblia e da Filosofia da Idade Média, Étienne Gilson guia-nos através da evolução das doutrinas filosóficas sobre Deus, considerando este aspeto como o maior de todos os problemas metafísicos.


Este livro é o n.º 52 da Col.Textos Filosóficos.

 

A ARQUITETURA POPULAR DOS POVOADOS DO ALENTEJO, de José Baganha

Num trabalho de génese académica, mas que pretendeu ter um cunho didático, de divulgação e de utilidade para a sociedade, José Baganha traz-nos uma análise atenta da arquitetura tradicional dos povoados do Alentejo, na sua articulação com a natureza envolvente, materiais usados e soluções arquitetónicas adotadas depois de séculos de experiência.Como ponto de partida, o autor estudou o território e a sua evolução histórica, cultural e social.

O IMPÉRIO DA VISÃO: FOTOGRAFIA NO CONTEXTO COLONIAL PORTUGUÊS (1860-1960), de Filipa Lowndes Vicente - Recensão na H-Net Reviews

Leia o artigo de Emília Tavares sobre este livro que saiu na «H-Net Reviews in the Humanities and Social Sciences» em fevereiro de 2016.

O CONCEITO DO POLÍTICO, de Carl Schmitt - artigo no Observador

No Observador de 11 de dezembro de 2015, Miguel Freitas da Costa elege este livro como um dos cinco melhores pubvlicados em 2015. Leia aqui a sugestão de leitura:

 

http://observador.pt/2015/12/11/texto-essencial-vs-falsa-obra-prima/

 

 

 

WATERLOO, de Andrew Porter - Recensão na Time Out

Leia a recensão de José Carlos Fernandes sobre este livro, que saiu na revista Time Out de 2 de Dezembro de 2015.

 

A REPÚBLICA CORRIGIDA E AUMENTADA, de José Medeiros Ferreira

A historiografia tradicional da República avança como objetivo para a entrada do país na Grande Guerra com a manutenção das colónias. No entanto, José Medeiros Ferreira sustenta que «foram sobretudo objetivos de carácter económico e financeiro que guiaram a delegação portuguesa em Paris, primeiro presidida por Egas Moniz, ministro de Sidónio pais e, depois de março, por Afonso Costa.

Syndicate content