CINEMA PORTUGUÊS - UM PAÍS IMAGINADO, de Leonor Areal - recensão na revista Aniki

Leia aqui recensão que Adriana Martins fez a esta obra, e que saiu no 1º número da revista Aniki.

 

PÓS-GUERRA - HISTÓRIA DA EUROPA DESDE 1945, de Tony Judt

Agora em edição brochada.


Numa análise política, social, cultural e económica que se pretende abrangente e revela de que forma estas vertentes se relacionam e influenciam, Tony Judt apresenta-nos uma obra que regista a evolução da Europa do pós-guerra.


UMA HISTÓRIA DA VIOLÊNCIA, de Robert Muchembled

A violência, que nos nossos dias nos é mostrada incessantemente através dos meios de comunicação social, é um tema que interessa a políticos, mas também a antropólogos e sociólogos e, por isso, objeto de uma história. Numa tese em contracorrente, o autor mostra-nos que, ao contrário da opinião dominante, a violência tem vindo a baixar constantemente desde o século XIII, tendência que parece conferir alguma sustentação à teoria de uma «civilização dos costumes» que, progressivamente, teria vindo a sublimar a violência.

VIGIAR E PUNIR. NASCIMENTO DA PRISÃO, de Michel Foucault

«Hoje, talvez tenhamos vergonha das nossas prisões. No entanto, o século XX tinha orgulho nas fortalezas que construía nos limites e, por vezes, no centro das cidades. Esses muros, esses ferrolhos, essas células representavam todo um trabalho de ortopedia social.


O IMPÉRIO DE HITLER, de Mark Mazower - artigo no Ípsilon

Leia aqui a recensão de Diogo Ramada Curto sobre este livro, que saiu no suplemento Y do Jornal Público do dia 23 de dezembro de 2013.

A EUROPA ALEMÃ, de Ulrich Beck - Um dos livros do ano de 2013 escolhido pelo jornal Público

O jornal Público escolheu esta obra como sendo um dos melhores livros do ano de 2013.

 

Leia o artigo de António Araújo sobre esta obra, publicado na edição do Público de 6 de Dezembro de 2013.

 

O IMPÉRIO DE HITLER, de Mark Mazower - Um dos livros do ano de 2013 escolhido pelo jornal Público

O jornal Público escolheu esta obra como sendo um dos melhores livros do ano de 2013.

 

Leia o artigo de Diogo Ramada Curto sobre este livro, publicado na edição do Público de 6 de Dezembro de 2013.

NÃO HÁ MAPA COR-DE-ROSA. A HISTÓRIA (MAL)DITA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA, de José Medeiros Ferreira - Entrevista ao jornal Público

Leia aqui a entrevista que o autor, José Medeiros Ferreira, deu ao jornal «Público» do dia 17 de novembro de 2013, a propósito desta obra.

 

http://www.publico.pt/temas/jornal/a-uniao-europeia-pode-desaparecer-sem...

CIDADE E IMPÉRIO. DINÂMICAS COLONIAIS E RECONFIGURAÇÕES PÓS-COLONIAIS, Org. por Nuno Domingos e Elsa Peralta

No quadro do império português, com diferenças que interessa assinalar, de colónia para colónia, de cidade para cidade, o mundo urbano foi um espaço onde ficaram impressas as estruturas de um domínio colonial. Foram uma expressão inequívoca de um colonialismo mais vasto, mas assinalado por particularidades, níveis de desenvolvimento económico, de organização laboral, de organização do Estado. É destas características que pretendemos aqui falar.


NÃO HÁ MAPA COR-DE-ROSA. A HISTÓRIA (MAL)DITA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA, de José Medeiros Ferreira

A questão europeia não está isenta de controvérsias e o longo processo que culminou naquilo que é hoje a União Europeia também não. E se, como diz o autor, «por circunstâncias políticas, das quais os historiadores nem sempre se conseguem livrar e que muitas vezes condicionam o seu campo de investigação, se filia a génese do processo da organização internacional da Europa nos escombros da II Guerra Mundial», a verdade é que o conceito embrionário do projecto remonta algumas décadas.


Syndicate content